Obsessão masculina por “amor pela porta porta de trás” pode revelar homossexualidade enrustida

Fonte: Reprodução

Para uma grande quantidade de homens, a relação íntima “por trás” é de suma importância no relacionamento, chegando muitas vezes a ser um dos principais agradinhos que sua parceira pode ceder ao mesmo entre quatro paredes.

Ainda que para diversas pessoas, a maioria delas sendo mulheres, a relação amorosa por trás continue sendo um grande tabu, a mesma também tende a ser motivo de curiosidade e rejeição entre os casais.

Fonte: Reprodução

Envolta a uma série de mitos, a relação conta com algumas reservas demasiadamente inconsistentes para as moças, que muitas vezes insistem em se manterem vivas por conta da falta de informação, bem como pela grande insistência por parte de seus parceiros, que “enlouquecidos”, pedem que as mesmas cedam às suas investidas.

Segundo estudos, prática de “amor por trás” pode esconder homossexualidade enrustida em homens

De acordo com a ciência, o ato amoroso realizado dessa forma, pode refletir desejos oprimidos e esconder até mesmo impulsos incomuns em muitos rapazes.

Fonte: Reprodução

Segundo um estudo científico liderado pela doutora, Mary Collins Scheer, docente em uma das principais universidades do Reino Unido, a intensa busca de satisfação íntima dessa maneira, presente em grande parte dos caras, revela em muitos deles, uma espécie de luta contra a sua própria opção e gosto pelo mesmo gênero.

Durante os questionamentos e análises envolvidas em suas pesquisas, a doutora e professora universitária, Mary Collins, chegou a afirmar categoricamente em sua tese, onde foi embasada o estudo, que a maioria esmagadora dos rapazes que se dizem 100% machos e que praticam com frequência ou esboçam o frequente desejo de praticar este ato com suas parceiras, na verdade, estão transmitindo mensagens subliminares e ocultas envolvendo suas opções.

Fonte: Reprodução

Por estarem em constante conflito com isso, “lá no fundo”, se olharmos, eles podem não ser tão “machos” quanto afirmam e aparentam diante da sociedade.

Causando um intenso burburinho entre os adeptos da prática, a pesquisa britânica liderada por Scheer, conta com uma série de exceções, o que pode deixar muitos homens e mulheres um tanto quanto “aliviados”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here